MARATONA DO RIO 2014 ! O legado na minha vida!!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

INICIE AGORA MESMO CLIQUE QUERO TREINAR COM A EQUIPE

Eu comentei que apesar de ter treinado vários alunos para correr os 42.195 km, nunca tinha feito uma Maratona. Fiz várias meias e ano passado resolvi enfrentar o terrível muro dessa prova que é chamada Rainha das Distâncias!

Sempre respeitei quem completa uma prova de endurance como essa!!

Falando da minha experiência, sem colocar em pauta tipo de treinamentos, queria relatar o que aprendi com essa dama.

Decidi fazer essa prova após uma meia maratona que fiz Cross Country ano passado. Na metade da prova meu joelho começou a doer muito! O engraçado que ele gritou ali e nunca mais incomodou, e completei a prova em quase 4 horas!! Fiquei pensando que eu tinha resistência para correr 4 horas seguidas pois não parei nesses 21 km muito sofridos, apenas diminuindo ritmo para não piorar a dor. Nessa prova eu decidi a focar meus treinos e não mais correr com dor!

Para a maratona do RJ, tinha apenas 8 meses para encaixar os treinos que já fazia e direciona-los para os 42.195 km. Quando abriram as inscrições não relutei e me inscrevi. A partir dessa decisão, descobri um novo mundo

Treinos diários, alternando rodagens com treinamento de força, longões e a bike pois também participo da Etapa do Estadual de Duathlon, e nada que não fosse diferente do que passo para meus alunos.

Essa prova ,impõe respeito!! Temos que respeitar o trajeto, nosso corpo, nosso treinamento.

O engraçado é que, para mim, a ansiedade bateu duas semanas antes. Encaixei meus treinos longos e no dia da prova estava confiante que faria o suficiente das coisas certas.

Fui dosando a prova, dividi o percurso em 3 partes de 14 km, sendo o primeiro momento em um ritmo moderado e no seguinte viria como estava a resposta do meu corpo para encarar a terceira etapa que seria com um ritmo mais intenso.

Fui dosando minha passada e no km 21 senti a necessidade de ir ao banheiro. Muito frio e hidratando em todos os postos, tive que eliminar liquido. Faz sentido pois não suava.

Após os 21 kms comecei a inverter o percurso no meu cérebro. Como? Ao invés de contar as placas da Maratona que é da cor coral, contava as placas da Meia Maratona que são verdes. Isso para o nosso cérebro que é burro, funciona muito bem. Pense: é melhor no km 30 você pensar que só faltam 12 km do que ver que ainda está no 30 km. É uma barreira as vezes intransponível que faz muitos atletas quebrarem.

Esperando ansiosa o km 30, e quando ele chegou na Niemeyer, estava tão bem que ali, comecei a ver a linha de chegada, afinal só faltavam 12 km e para quem está acostumada a rodar 16 ou 18 km o que são 12 km para finalizar a prova dos seus sonhos?! Aonde fica esse muro gente??

Uma prova que deve ser construída de forma estrategica. Aonde se encaixa a suplementação, hora e o que se hidratar, alimentação durante o percurso são importantíssimos. Semana antes eu já estava de olho na previsão do tempo e sua confiabilidade para traçar a estratégia final. Ventos e chuva estavam previstos, ótimo!

Meu amigo Carlos Aguiar que há anos pratica Surf e um entendedor de ventos, veio a minha casa na noite anterior para o nosso jantar de massas e ficamos conversando. Vimos que pelo tempo de prova e oscilação dos ventos, pegaria chuva e vento vindo da praia em Copacabana. Só que veio antes, no Leblon, e eu como já estava atenta, não sofri com a surpresa!

Vim administrando gel de carboidrato a cada 40 minutos de prova com ingestão de agua mas nem todos postos bebia agua, as vezes apenas molhava a garganta, mas o isotônico tomei em todos os pontos de hidratação. Por orientação utilizei BCAA e pastilhas de sal para repor o sódio. Comprei BCAA mastigável pois o comprimido para mim e de difícil ingestão.

No famoso km 30 ingeri uma batata inglesa cozida cortada ao meio com um pouco de sal o necessário para repor na hora o que precisava. Dica de nosso aluno Diego Alencar que é profissional da área focado em nutrição desportiva.

As vezes aumentava a passada para evitar câimbras e, não sei se tem fundamento mas jogo agua gelada nas panturrilhas quando corro uma prova de longa distância e funciona para “acordar as panturrilhas”.

Cheguei bem! Cheguei sobrando como dizem, acredito que poderia ter vindo mais rápido ou caso não tivesse parado no banheiro, poderia ter feito em menos de 5:20 que foi meu tempo!

Gheguei!! Só faltam 95 metros!

Está ótimo levando em conta ser a minha primeira experiência em Maratona.

Estou incomodada de dizer que não senti absolutamente nada de dor depois da prova!! Já tinha marcado no dia seguinte, uma massagista por precaução, que foi ótimo! Ela apenas soltou a musculatura!!

Fui dormir somente a noite e no dia seguinte pronta para viver!

Treino, metodologia própria, acreditar que vai dar tudo certo, confiar no seu treinamento.

Corrida com gosto de dever cumprido! Agora estou com a Síndrome do Ninho Vazio! O que fazer com minha vida sem o ritmo frenético dos treinos para maratona? Com a alimentação, com o sono constante e com seu tempo todo dedicado a ela! Bem, que venha outras provas e outros desafios!! O problema é que a fome não para!

Se você correu essa prova, gostaria de saber sua experiência! Comente e se te ajudou de alguma forma, compartilhe!!

Em 2015 eu voltarei! E você?

INICIE AGORA MESMO CLIQUE QUERO TREINAR COM A EQUIPE

Profª Luciene Cury

CREF: 032263-G/RJ

Sócia e Treinadora da Equipe OTREINO

Filiada a ATC ( Associação dos Técnicos de Corrida)

Membro fundadora da AATRIO (  Associação das Equipes de Águas Abertas e Triathlon do Estado do Rio de Janeiro)

 

 

 

Comente abaixo, compartilhe sua opinião conosco!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *